Tirar férias é essencial para a produtividade dos educadores

Na era digital, as fronteiras entre o mundo corporativo e a vida pessoal se tornaram cada vez mais estreitas. Hoje, o trabalho está tão acessível em nossos celulares e laptops, que ficou difícil se desligar dele. Porém, será que não é necessário de vez em quando se desconectar?


Um grande número de pessoas estão adquirindo o hábito de adiar as férias ou mesmo convertendo parte delas em remuneração. A sociedade da hiper produtividade vem nos ensinando que descansar gera culpa. Entretanto, a nossa saúde mental já vem dando sinais de que precisamos de férias para a nossa qualidade de vida e equilíbrio. Professores são um dos profissionais que mais sofrem com o burnout, para os educadores, portanto, esse período deve ser sagrado.


Um estudo realizado pela Organização Internacional do Trabalho apontou que somente em 2016, 745.000 pessoas morreram de doenças cardíacas e derrames devido às longas jornadas de trabalho. A pesquisa descobriu que trabalhar 55 horas ou mais por semana está associado a um risco 35% maior de acidente vascular cerebral e 17% maior de morrer de doença cardíaca do que uma semana de trabalho de 35 a 40 horas.Em outras palavras, os números mostram que as férias são tão importantes quanto trabalhar.


Férias e a saúde do coração

Como já falamos em outros posts, saúde mental e saúde física andam juntas. A nossa mente exerce um papel importante no nosso equilíbrio como um todo. Logo, cada vez mais cientistas estão chegando à conclusão de que as doenças físicas, bem como, a recuperação delas têm uma íntima relação com a forma que a nossa mente trabalha.


Por isso, os descansos são fundamentais. Segundo algumas pesquisas, tirar férias regulares pode ajudar a reduzir o risco de síndrome metabólica – um conjunto de problemas de saúde, incluindo pressão alta, açúcar elevado no sangue, excesso de gordura abdominal e níveis anormais de colesterol. Todos esses sintomas aumentam o risco de doenças cardíacas, derrame e diabetes tipo 2. Neste estudo, por exemplo, os pesquisadores descobriram que aqueles que tiravam férias com mais frequência eram menos propensos a atender aos critérios para o diagnóstico de síndrome metabólica. Notavelmente, o risco diminuiu em um quarto com cada férias adicionais tiradas. Outro estudo acompanhou, durante nove anos, mais de 12.000 homens de meia-idade com alto risco de doença cardíaca. Ao final, aqueles que tiravam mais férias anuais eram menos propensos a morrer por qualquer causa, incluindo ataques cardíacos e outros problemas cardiovasculares.


Vivendo no momento presente

Devido aos afazeres e compromissos, ficamos excessivamente preocupados com o futuro, esquecendo de aproveitar o momento presente. Mas você sabia que tirar férias é uma ótima oportunidade de quebrar esse ciclo e valorizar mais o aqui e agora?


Te explico melhor: quando viajamos ou mudamos a rotina, deixamos de operar no “piloto automático”. Essa mudança de comportamento acaba prendendo a nossa atenção no momento presente. De acordo com uma pesquisa publicada no “The Journal of Positive Psychology”, meditação e férias parecem ter os mesmos efeitos. Ou seja, descobriu-se que tanto exercícios de meditação quanto as férias estão vinculados aos maiores níveis de bem-estar e atenção plena.


Já tratamos no blog sobre a importância da meditação e do mindfulness para a nossa saúde mental e como essas práticas nos ajudam a minimizar a hiperatividade e o excesso de estímulos que aumentam a nossa ansiedade.


Como se desconectar?

Mais do que ficar um período longe do trabalho, é essencial saber como se desconectar. Para muitos, mesmo nas férias, a tentação é grande na hora de checar e-mails e responder mensagens de colegas. Porém, essa atitude de se afastar sem se desconectar propriamente, nos mantém em um estado de alerta constante e isso, claro, afeta nossa saúde mental.


É preciso se desligar completamente do trabalho para conseguir dar o tempo que a nossa mente precisa para descansar. O estresse crônico é uma das principais causas que levam ao burnout, depressão e transtornos de ansiedade. Logo, esse ato de se desconectar não é apenas prazeroso, como também essencial para a nossa saúde mental. Quem tira férias de fato, ou seja, fica longe física e mentalmente do expediente, apresenta um desempenho melhor ao voltar, diminui os níveis de estresse do seu organismo e ainda experimenta um aumento da criatividade e capacidade de solucionar problemas. O ócio faz bem para a nossa mente e é essencial para gerenciarmos nossa saúde mental com equilíbrio, como a própria ciência já comprova.



Sabemos que para muitos workaholics, se desligar do trabalho é muito mais fácil na teoria do que na prática. Por isso, seguem algumas dicas práticas que podem te ajudar na hora de aproveitar as férias como se deve e colher os benefícios desse período de descanso:


Programe-se

Antes de sair de férias, vale a pena conversar com o coordenador para definir quais atividades devem ser priorizadas antes do descanso. Se programar com antecedência faz com que você organize todas as tarefas, sem deixar qualquer pendência.


Delegue tarefas

Em muitos casos, antes de sairmos de férias temos um acúmulo de trabalho. Para evitar esse problema e trabalhar dobrado antes do merecido descanso, delegue algumas tarefas para outros colegas, se for o caso. O ideal é se organizar para evitar pendências e ligações inesperadas quando você estiver aproveitando seu tempo livre.


Desligue as notificações

Para não cair em tentação de checar os e-mails do trabalho ou mesmo o WhatsApp, desligue as notificações. Esse tipo de atitude é fundamental para rompermos não apenas fisicamente, como também mentalmente com o nosso trabalho.


Aprendendo a descansar

Na era digital, o mundo segue em uma velocidade bastante acelerada. Por isso, estamos desaprendendo a descansar. Para muitas pessoas, o ócio se transforma em algo assustador, principalmente aquelas que estão 24 horas absorvendo conteúdo e informações.


Uma boa dica para relaxar e descansar com mais facilidade é se conectar com a natureza. Estudos apontam que o tempo de exposição à natureza tem uma relação direta com a nossa capacidade de memória e atenção, especialmente para as crianças. No Japão, alguns pesquisadores andam coletando dados sobre os benefícios do banho de floresta tanto para a nossa atenção quanto para o nosso bem-estar.


Colocar limites na nossa ansiedade de ser hiper produtivo é algo urgente em uma sociedade cada vez mais acelerada e conectada. A ciência, os números, e os estudos estão aí para nos lembrar que as férias importam e devem ser prioridade assim como o trabalho.


Janeiro está aí e é hora de programar as férias e desligar. Aproveite seu tempo livre para se organizar e estabelecer metas para o seu novo ano!


27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo